→ Os 20 Melhores Países para se Viver

Entra ano e sai ano e novas pesquisas sempre mostram os melhores países para se viver.

Nessa nova entrevista, agora com os millennials (nascidos após 1980), a Business Insider chegou a uma lista dos 20 melhores países para morar.

Segundo esses dados mais da metade da população americana entre 18 e 34 anos consideraria morar fora do país.

E por falar nos melhores países para morar, lembrei de uma coisa. Tenho visto alguns colegas próximos ganhando bastante dinheiro comprando produtos dos Estados Unidos e revendendo no Brasil. Isso tudo sem precisar ir nos Estados Unidos e comprando TUDO MUITO MAIS BARATO. Saiba mais aqui

O ranking foi determinado pelo resultado da pesquisa com 6.000 millennials em quatro regiões – Américas, Ásia, Europa e Oriente Médio e África. A base de resposta para eleição dos melhores países para se viver é se o país “é um lugar onde eu iria viver”.

A Austrália, o paraíso dos aventureiros, ficou em primeiro lugar, seguido pelo Canadá em segundo lugar e Itália em terceiro lugar.

Mas se você tem alguma dificuldade no inglês e disser “SIM” para alguma das perguntas abaixo, recomendo você liberar o seu acesso GRATUITO ao ebook “Guia Prático para Aprender Inglês em 8 Semanas” clicando na figura abaixo.

  1. Você já perdeu alguma oportunidade por não falar inglês?
  2. Você já passou por alguma situação constrangedora por não falar inglês?
  3. Você está com seu currículo defasado por não falar inglês?
  4. Você poderia ganhar mais se falasse inglês?
  5. Você se sente frustado(a) por não falar inglês?
  6. Você se sente culpado por já ter desistido de algum curso?
  7. Você acha que pode ter problemas por não falar inglês?
  8. Sua auto estima está afetada por você não falar inglês?
  9. Você já fez vários cursos sem sucesso?

Então o ebook “Guia Prático para Aprender Inglês em 8 Semanas” é para você!!

curso-ingles-online-gratis

Veja a lista abaixo:

Os 20 Melhores Países para se Viver

20 – Japão

melhores países para morar

As pessoas que querem morar no Japão com uma mente aberta vão se encontrar imersos na maravilhosa cultura japonesa, juntamente com abundantes oportunidades de aventura e graus de aculturação.

Trabalhar no Japão pode ser especialmente lucrativo para os expatriados, e muitos vão descobrir que, apesar da reputação do país como um dos destinos mais caros do mundo, os mercados competitivos têm feito uma boa qualidade de vida no país. 

Se quiser ver outras sobre trabalhar no exterior e conhecer mais esse site, recomendo visitar a seção “Comece Aqui”.

Morar no Japão vai expor aos expatriados a estranhos pontos de vista contraditórios lado a lado, como um templo ao lado de um pachinko, ao lado de uma sala de jogos e uma loja de anime. Os contrastes servem para destacar o equilíbrio precário encontrado no Japão entre a defesa da tradição ao abraçar a modernidade.

Como a maioria das grandes cidades globais, a vida na capital do Japão, Tóquio, é acelerada e repleta de experiências interessantes e incomuns.

No campo e em cidades menores, expatriados provarão o Japão mais tradicional, comumente associado com cerimônias de chá, tatames e arrozais.

Enquanto Kyoto se sente mais tranquilo e descontraído, Osaka possui uma movimentada vida noturna e é um destino popular para artistas internacionais.

O grande orgulho é tomado em variações regionais japonesas e especialidades, fazendo para uma experiência estranhamente diferenciada às vezes.

Saiba mais: Tudo Sobre Morar no Japão (Trabalho, Custo de Vida, Acomodações, etc.)

O país possui uma infra-estrutura extremamente bem desenvolvida, com sistemas de transportes públicos muito eficientes, serviços postais, tecnologias de comunicações e redes rodoviárias.

Para os que querem morar no Japão ficarão aliviados ao saber que é um país extremamente seguro com muito pouco crime. Os recém-chegados se encontrarão imersos em um país que celebra todos os eventos culturais e tecnológicos, tornando o Japão um destino rico e gratificante de escolha.

19 – Argentina

melhores países para morar

Na próxima posição dos melhores países para morar, a Argentina é o segundo maior país do continente sul-americano. Além disso, é um destino que continua entre os primeiros dos expatriados que procuram se mudar para o exterior.

Algumas curiosidades sobre a Argentina:

  1. Tem uma área de 11 vezes maior que o Reino Unido
  2. População de cerca de 43 milhões
  3. A extensão do espaço e limites da beleza natural só são verdadeiramente apreciados por aqueles que mergulham e decidem se deslocar em uma base mais permanente

Quem deseja morar na Argentina encontrará um clima diversificado. A topografia é igualmente variada. As regiões litorâneas orientais dão lugar a partir de vastas planícies de pastagens, ou pampas. Aqui que o país topa contra a gigantesca Cordilheira dos Andes em sua fronteira ocidental com o Chile.

A Argentina tem um dos Produtos Internos Brutos (PIB) mais altos da região. Porém a corrupção e a má administração fizeram com que a estabilidade política e econômica ainda esteja praticamente ausente. 

Sua economia ficou em estado desastroso em 2001, quando o país não cumpriu uma das maiores dívidas externas registradas.

Saiba mais: Tudo Sobre Morar na Argentina – O Guia Definitivo!

Embora a economia argentina tenha se recuperado em grande parte, os empregos são mais escassos que em outros locais.

Na parte superior, isso abriu o caminho para um mercado imobiliário flutuante e a compra, por estrangeiros, de grandes extensões de terra. Desde então, o crescimento moveu-se em uma direção ascendente geral.

Economia Argentina

A economia é baseada na agricultura:

  1. A soja é a cultura de escolha no noroeste
  2. O gado, que conduz à produção da carne da Argentina, é pastado nos vastos pampas abertos a oeste de Buenos Aires
  3. E milhares de hectares de vinhas na província de Mendoza contribuem para a indústria da indústria da república.

Há 22 províncias semi-autônomas na Argentina, respondendo ao governo em Buenos Aires, onde vive aproximadamente 10% da população total do país.

Um influxo de imigrantes espanhóis, italianos e outros europeus no século XIX e início do século XX levou a uma capital cosmopolita e culturalmente rica.

Fora das principais áreas urbanas, no entanto, os expatriados vão encontrar o oposto, com falta de falantes em inglês.

A dimensão do país torna difícil uma avaliação uniforme das oportunidades para os expatriados. De um modo geral, no entanto, o baixo custo de vida – cerca de um terço do custo de vida dos EUA e cerca de um quarto do da Europa – tornou a Argentina um ótimo lugar para se aposentar.

As oportunidades de emprego para expatriados são limitadas, fora de ser atribuído por uma grande corporação multinacional, embora também haja oportunidades crescentes para professores de língua inglesa.

Se expatriados consideram morar na Argentina, um bom conhecimento de trabalho de espanhol (ou um tradutor) é uma obrigação.

18 – Grécia

melhores países para morar

Expatriados que querem morar na Grécia verão um país de maravilha arqueológica, ricas tradições e praias cintilantes. A República Helênica ou Hellas, como a Grécia é conhecida em grego, consiste de 3.000 ilhas e afloramentos rochosos na ponta da Península Balcânica.

Tem sido por muito tempo um destino atrativo para seu estilo de vida relaxante, seu sol e sua beleza natural. Essas são características que têm atraído expatriados jovens e mais velhos, por uma variedade de razões.

Esta versão da Grécia é contrastada com um país que continuará a lutar com as consequências da crise da dívida de 2010 e as medidas de austeridade impostas pelos seus parceiros europeus para as próximas décadas.

O recorde de crescimento do país antes da crise do crédito em 2008 é algo do passado. Sua alta taxa de desemprego significa que os empregos na Grécia são escassos para todos, incluindo os expatriados.

A partir de 2015, a Grécia recebeu seu terceiro salvamento em cinco anos.

O governo prometeu pôr as reformas econômicas no lugar, porém seu lugar na União Européia não está garantido.

Tradicionalmente, trabalhar na Grécia tem sido principalmente prestado pela indústria de serviços, construção, telecomunicações, agricultura e transporte marítimo.

Todos estes setores sofreram até certo ponto, embora, em parte como resultado de preços mais baixos e tensões no Médio Oriente, o turismo é a exceção a regra e continua a proporcionar oportunidades de emprego para os estrangeiros na Grécia.

Qualquer pessoa que considere morar na Grécia deve levar em consideração o estado relativamente instável da economia e o mercado de trabalho severamente enfraquecido.

Os expatriados mais ricos são apresentados com oportunidades de preços de habitação e aluguel mais baixo dos últimos anos. O turismo continua a trazer influxos sazonais de visitantes estrangeiros.

Eu particularmente acho que a Grécia seja um dos melhores países para morar devido ao seu baixo custo de vida.

As Principais Cidades Gregas

As cidades gregas que atraem mais expatriados são Salônica, na Macedônia Central, e Atenas, que é a maior e mais diversificada das cidades gregas.

Há também muitos expatriados que querem morar na Grécia que escolhem comprar uma casa de campo em uma de suas muitas ilhas.

Thessaloniki é bem conhecida por suas indústrias de alta tecnologia e abriga o Parque Tecnológico de Tessalônica, bem como o Centro de Ciência e Museu de Tessalônica. Embora talvez não tão multicultural como Atenas, ainda é o lar de uma grande população de expatriados.

Atenas, por outro lado, é a mundialmente famosa “cidade dos deuses” e o berço da democracia, onde os monumentos da Grécia Antiga continuam a dominar a cidade. É também capital financeira da Grécia, abriga a sede de muitas das empresas multinacionais que operam no país e, no passado recente, viu uma onda de protestos políticos.

A Grécia tem seus problemas sociais e econômicos. A alta taxa de desemprego intensificou o sentimento anti-estrangeiro que, em alguns casos, aumentou para a violência. Mesmo assim ela ainda está bem votada entre os melhores países para se viver.

Também é notório por altos níveis de corrupção na política e nos negócios, assim como sua burocracia governamental quase cruelmente complicada.

Ao mesmo tempo, é um lugar de beleza verdadeiramente majestosa. Para os expatriados que podem pagar, ou que são aventureiros o suficiente para morar na Grécia, o país continua a ser um destino popular pelo seu estilo de vida.

17 – Cingapura

melhores países para morar

Expatriados que querem morar em Cingapura encontrarão um dos lifestyles dos mais finos no mundo. Situado na ponta sul da Península da Malásia, esta cidade-estado é uma metrópole movimentada com uma fascinante mistura de nacionalidades e culturas.

Há um grande número de expatriados ocidentais, e os trabalhadores domésticos estrangeiros, que vivem ao lado de uma população local de descendência chinesa, malaio e indiana, tornando esta uma das cidades mais cosmopolitas do mundo.

Cingapura é conhecida pela sua eficiência e tem transporte público exemplar, infraestrutura de comunicações e instalações de saúde, e uma cultura local que promove tolerância, harmonia e obediência.

Saiba mais: 7 Simples Passos para Trabalhar em Cingapura

Medidas prudentes do governo asseguraram uma economia estável e alguns dos maiores nomes de empresas estabeleceram sede regional no país, de modo que os expatriados qualificados encontrarão muitas oportunidades profissionais.

Cingapura é lar de uma grande percentagem de expatriados de alto rendimento, muitos dos quais têm muito mais renda disponível do que eles fizeram em seu país de origem.

Dito isto, há um alto custo de vida, e os expatriados terão de se certificar de que eles negociam um salário que pode cobrir os preços da habitação.

Com o clima tropical de Cingapura, é um lugar ideal para criar uma família. Expatriados que vão morar em Cingapura com crianças podem ter noção que a cidade não tem violência, é limpa e segura. Várias escolas internacionais oferecem um alto padrão de educação, e as taxas escolares são muitas vezes subsidiadas pelos empregadores.

Mesmo que quase metade da ilha é ocupada por alta densidade demográfica, há uma quantidade surpreendente de flora e fauna naturais, com belos jardins botânicos, parques aquáticos, praias e um zoológico. Com boas conexões de voo, Cingapura também é uma ótima base para explorar o resto da Ásia e um dos melhores países para se viver.

16 – Áustria

melhores países para morar

Expatriados que querem morar na Áustria encontrarão uma mistura intrigante de aldeias históricas e cidades modernas.

A República da Áustria é um dos países mais ricos da Europa e partilha fronteiras com a Suíça, Lichtenstein, Eslovénia, Itália, Eslováquia e Hungria.

Com origens no Reino Celta e no Império Romano, a Áustria de hoje está na vanguarda do pensamento político e das relações internacionais.

A Áustria é um Estado da UE e também um dos membros fundadores da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Com um alto padrão de vida, uma gama de trabalhos para expatriados escolher, e uma impressionante seleção de atividades extra-mural em oferta, a Áustria é um destino ideal para expatriados.

Saiba mais: As 21 Cidades Mais Seguras para Mulheres que Viajam Sozinhas

Além disso os austríacos têm uma atitude amigável e acolhedora em relação aos expatriados.

A capital da Áustria, Viena, abriga um quarto da população do país. Junto com Vancouver no Canadá, Viena foi classificada em primeiro lugar pela Unidade de Inteligência Econômica e Mercer para a qualidade de vida. 

Estas condições ideais e a sua localização no coração da Europa asseguraram que Viena é uma cidade sede regular para conferências internacionais e sessões de planeamento relacionadas com todos os aspectos da vida, desde as questões acadêmicas até ao planejamento urbano.

Empregos em gerenciamento de projetos, finanças e logística, bem como campos de linguagem, como professores de Inglês e serviços de tradução são relativamente abertos aos expatriados.

O turismo é uma indústria crescente na Áustria e expatriados têm muitas chances de serem bem sucedidos.

Outras áreas possíveis de emprego para os expatriados incluem a engenharia e campos de pesquisa. Quem for morar em Viena estará imerso em eventos culturais, como música, teatro e óperas.

A cidade é projetada para incorporar uma variedade de parques e áreas de lazer, especialmente ao longo do rio Danúbio.

Morar na Austria

Todas as principais cidades, assim como o resto do país, têm instalações de transporte público eficientes e bem mantidas.

Os comboios são os meios mais fáceis de viajar entre cidades, enquanto ônibus ligam muitas das pequenas cidades à rede ferroviária principal.

Este sistema de transporte integrado é a maneira mais fácil de se locomover na Áustria e garante que os expatriados podem comutar facilmente e com preços acessíveis usando amenidades públicas.

Os veículos também são populares e a rede rodoviária da Áustria é extensa, ligando o país a todos os seus vizinhos. Auto-estrada de alta velocidade também são facilmente acessíveis.

A saúde na Áustria é o padrão que a maioria dos expatriados ocidentais estão familiarizados. O sistema é financiado por uma série de regimes de seguro público obrigatório e abrange toda a população.

A maioria dos hospitais bem equipados da Áustria são propriedades do governo e, embora existam alguns hospitais privados e instalações disponíveis, eles são normalmente utilizados para a cirurgia com hora marcada, em vez das de emergência.

Leia aqui: Os Países Mais Ricos do Mundo

Os expatriados que são cidadãos da UE podem ter acesso a tratamento desde que possuam um Cartão Europeu de Seguro de Doença, enquanto que os que não pertencem à UE devem dispor de um seguro de saúde alternativo para os primeiros meses do seu tempo na Áustria.

A Áustria pode ser relativamente pequena e sem litoral, mas é realmente o coração da Europa.

Com impressionante arquitetura barroca, igrejas imponentes e eventos culturais cativantes, a Áustria vai facilmente encaixar seu caminho no coração de muitos expatriados que optam por fazê-lo em casa.

Embora encantador, a Áustria também tem a sua própria nos setores comercial e industrial, e os expatriados devem estar preparados para trabalhar duro, sem esquecer de apreciar os muitos esplendores deste país tem em oferta.

15 – Luxemburgo

Um outro entre os melhores países para morar, Luxemburgo é um país sem saída para o mar e faz fronteira com a Bélgica, França e Alemanha, que fica na encruzilhada das culturas germânica e latina. É o segundo menor dos Estados-Membros da União Europeia.

Com uma indústria bem sucedida de aço, finanças e alta tecnologia, uma localização estratégica no coração da Europa Ocidental, uma beleza mais natural do que se poderia esperar dadas as suas dimensões, e como um dos três países mais ricos do mundo, o Luxemburgo goza de um padrão muito elevado para viver.

A cidade de Luxemburgo propriamente dita foi fundada em 963, e sua posição estratégica logo lhe prometeu um grande destino. Luxemburgo estava na encruzilhada da Europa Ocidental e tornou-se fortemente fortificada, e você ainda pode ver as muralhas da cidade extensa e torres que são o aspecto mais distintivo da paisagem urbana.

Leia aqui: Saiba Onde Você Pode Estudar em Inglês no Exterior

Devido à sua posição chave, Luxemburgo foi levantado até um ducado que incluiu um território muito maior que se estendeu na Bélgica atual, Holanda, Alemanha e França.

Luxemburgo tem um clima com invernos suaves, embora janeiro e fevereiro podem ficar muito frio e temperaturas podem cair perto de -15°C. O verão pode ser muito quente em Luxemburgo, com temperaturas em julho e agosto atingindo cerca de 30°C.

14 – Alemanha

melhores países para se viver

A transição para os expatriados que querem morar na Alemanha deve ser direta. É um país cosmopolita e inovador, com uma economia poderosa que há muito tempo tem sido um destino popular para expatriados para os elevados padrões de vida que oferece.

Um dos maiores obstáculos para morar na Alemanha é enfrentar a sua regulamentação de imigração rigorosa. Mas há oportunidades para expatriados qualificados em áreas como negócios, ciência e tecnologia, especialmente se eles têm habilidades que estão em falta.

Saiba mais: As 7 Melhores Cidades da Alemanha para Viver

O padrão geral de infra-estrutura é excelente. Expatriados provavelmente não precisarão de um carro graças ao extenso transporte público em cidades alemãs e viagens de longa distância são fáceis graças aos voos de baixo custo e boas ligações de transportes.

Expatriados têm inúmeras opções quando se trata de moradia na Alemanha também: de apartamentos mobiliados ou não mobilados, estúdios modernos, casas e casas de família. A maioria dos expatriados que querem morar na Alemanha alugam propriedadea, mas o processo de compra de uma casa não é complicado, mesmo para os cidadãos estrangeiros.

Morar na Alemanha

Ambos os hospitais públicos e privados na Alemanha estão em pé de igualdade com os padrões internacionais, e os expatriados com preocupações específicas de saúde podem encontrar conforto no fato de que as instalações especializadas estão em boa oferta.

O nível de educação na Alemanha é excepcionalmente elevado. O sistema acomoda o fato de que os alunos têm habilidades diferentes e existem várias opções que incluem uma série de escolas internacionais em todo o país.

Leia aqui: Vagas de Emprego na Alemanha para Quem Fala Português

Os custos de vida na Alemanha podem ser bastante elevados, mas estão em torno da média para os países da Europa Ocidental. Como é de se esperar, as áreas rurais são mais baratas do que as cidades. Os expatriados também podem achar que a vida na Alemanha é bastante rígida. Mas se eles estão dispostos a aceitar suas regras restritas, eles serão recompensados ​​com altos padrões de vida em um ambiente seguro.

Dando um veredito pessoal, estivemos na Alemanha em 2 cidades em 2016 e a coloco na top 5 de melhores países para se viver.

13 – Portugal

melhores países para se viver

Os expatriados que querem morar em Portugal são mais frequentes do que se imagina. Os verões longos e quentes são certamente um de seus maiores atrativos, e muitos se mudam para o país para viver seus anos de crepúsculo em suas costas quentes.

Situado a oeste da Península Ibérica, rodeado pela Espanha e pelo Oceano Atlântico, a beleza de Portugal abunda em longas extensões de praia branca e montanhas arqueadas para cima.

Uma população de mais de 10 milhões deixa muito espaço para expatriados para se divertir e explorar seus tesouros arquitetônicos sem a claustrofobia de grandes multidões.

Outra razão pela qual as pessoas se mudam para Portugal é o povo. A cultura portuguesa gira em torno da família, e os habitantes locais são amigáveis, acolhedores e prestativos.

Dito isto, a abordagem portuguesa pode ser frustrante para os expatriados que fazem negócios, bem como o tédio da burocracia governamental.

O emprego também é difícil de encontrar, e os salários são geralmente muito mais baixos do que outros destinos europeus.

Saiba Mais sobre Morar em Portugal

O mundo do trabalho apresenta algumas oportunidades, mas a maioria dos expatriados chegam à procura de uma melhor qualidade de vida, e não por razões financeiras e profissionais. Em linha com salários mais baixos, o custo de vida é de longe um dos mais razoáveis ​​na Europa.

Expatriados vão encontrar boa qualidade de frutas e legumes locais, bem como acessível preço de vinho. Comer fora é relativamente barato, assim como cerveja, refrigerantes e café.

Moradia também tem preços razoáveis ​​fora das principais áreas turísticas e, ao contrário de outros destinos, os expatriados que querem morar em Portugal preferem comprar a propriedade em vez de alugar.

Leia aqui: Saiba Sobre o Novo Visto Startup Visa para Portugal (Começa a Valer em 1 de Janeiro de 2018)

Para aqueles com dinheiro de outros investimentos, morar em Portugal pode ser financeiramente prudente e um destino de aposentadoria atraente.

Portugal está bem posicionado em relação ao resto da Europa, com ligações aéreas para a maioria dos destinos dos principais aeroportos de Faro, Porto e Lisboa.

Os expatriados à procura de beleza natural, pessoas próximas, bom tempo e um ritmo mais lento de vida vão adorar morar em Portugal.

Segundo alguns colegas de trabalho que tenho aqui em Paris, Portugal é o melhor país para se viver.

PRECISA DE UM GUIA DE COMO MORAR EM PORTUGAL?

Você já pensou em ter um guia passo a passo em sua mão sobre como morar em Portugal

Morar em Portugal é um guia completo para quem deseja trabalhar, residir ou passear na terra de Cabral.

  1. Você vai ganhar tempo em ter que buscar todas as informações que estariam mastigadas na sua mão
  2. Você vai economizar dinheiro com gastos desnecessários se resolver procurar tudo sozinho
  3. Vai ter acesso as experiências de pessoas que mudaram para Portugal
  4. Irá viajar preparado sabendo tudo o que precisa com todas as informações
  5. Terá acesso a um conteúdo atualizado ao invés de ficar procurando em páginas antigas da internet
  6. Conteúdo digital com acesso em celular, tablet e computador para ler quando quiser a hora que quiser

Ao acessar o guia, você terá acesso as informações abaixo:

  1. Planejamento de moradia
  2. Emissão de passaporte comum
  3. Emissão de passaporte de emergência
  4. Quanto levar em dinheiro?
  5. Como escolher passagens aéreas?
  6. Como escolher hotel barato?
  7. Que documentos autenticar no Brasil?
  8. Documentos necessários para apresentar na Imigração
  9. Média de custos para os primeiros meses de moradia
  10. Despesas básicas
  11. Que documentos preciso ter para morar em Portugal?
  12. Onde morar?
  13. Como consigo trabalho em Portugal para brasileiros?
  14. Matriculas escolares para filhos
  15. Como faço para me legalizar?
  16. Como tirar habilitação em Portugal?
  17. Comprando carro barato em Portugal
  18. Como estudar em uma universidade portuguesa?

 

empregos em Portugal para brasileiros em 2017

12 – Dinamarca

Os expatriados que querem morar na Dinamarca vão descobrir que, apesar de ser um país pequeno – com uma população de pouco mais de 5,6 milhões de pessoas – tem um caráter subjacente complexo.

A Dinamarca compreende mais de 400 ilhas e a maior parte da população vive em ilhas. Somente 70 das ilhas são povoadas, e a maior, a Zelândia (Sjælland), é onde a capital da Dinamarca, Copenhague, está localizada, e onde cerca de 25% da população do país vive.

A Dinamarca é um destino de expatriados cada vez mais popular, uma vez que o governo, a indústria e as instituições de ensino superior dinamarquesas estão todas interessadas numa maior internacionalização.

Geralmente, a Dinamarca é uma economia salarial, tributária e de bem-estar elevada. O mercado de trabalho é regido pelo conceito de “flexigurança”, o que significa que a política governamental e a legislação do mercado de trabalho são orientadas por um elevado grau de flexibilidade do mercado, proporcionando ao mesmo tempo uma segurança substancial através do sistema de segurança social.

Saiba mais: Tudo Sobre a Dinamarca: Moradia, Trabalho, Custo de Vida e Saúde

Morar na Dinamarca

A Dinamarca tem uma das mais baixas medidas de desigualdade de baixa renda entre os países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Ou seja, a diferença entre executivos seniores e trabalhadores de fábrica é menor do que a maioria dos outros lugares.

Deve-se dizer, no entanto, que é considerado necessário ter pelo menos dois rendimentos para a maioria das famílias para manter um padrão de vida decente. Famílias com apenas um cônjuge trabalhador pode sofrer tensão financeira.

O custo de vida na Dinamarca é alto. Como em qualquer cidade européia, as rendas são altas em Copenhague – quase 50% mais altas do que nas cidades provinciais da Dinamarca. No entanto, os custos de moradia são competitivos em comparação com Paris, Londres ou Oslo.

Saiba Mais sobre Morar da Dinamarca

Morar na Dinamarca é apresentado principalmente em metros quadrados, em vez de por número de quartos. Um apartamento de 80 m2 pode ter apenas um quarto e uma sala de estar, enquanto outro de 80 m2 pode ter dois quartos, um estudo e uma sala de estar. 

A língua dinamarquesa está intimamente relacionada ao sueco e ao norueguês. Não é raro encontrar um dinamarquês e um sueco conversando muito bem, cada um em sua própria língua, cada um compreendendo o outro, mas não querendo adotar a língua do outro.

O inglês é obrigatório nas escolas secundárias e a maioria das pessoas, especialmente nas áreas urbanas, pode falar bem. Isto torna muito fácil para os expatriados serem preguiçosos sobre o aprendizado dinamarquês, mesmo que as autoridades locais ofereçam cursos de idiomas gratuitos ou subsidiados a um nível elevado.

Os anfitriões dinamarqueses, no entanto, apreciarão pelo menos algum esforço que está sendo feito para se familiarizar com a sua língua.

Além disso, apesar de muitas empresas maiores adotarem o inglês como língua da empresa, ainda é difícil fazer o mesmo em termos de carreira sem pelo menos algum dinamarquês.

Apesar de seu tamanho pequeno, Dinamarca tem muito para oferecer aos expatriados nos termos da cultura, do esporte e da vida ao ar livre.

Os visitantes são surpreendidos frequentemente em como algumas partes do país não são populadas. Sendo uma península e uma série de ilhas, não há escassez de litoral e atividades à base de água são muito populares.

Expatriados devem ser avisados, no entanto, que se eles estão à procura de montanhas e fiordes eles vão ficar desapontados: a Dinamarca tem o ponto mais alto apenas 170 m acima do nível do mar.

E para fechar: o povo dinamarquês é muito feliz, o que faz com que seja um dos melhores países para morar.

11 – França

melhores países para se viver

Muitos sonham em se morar na França, seduzidos por:

  1. Visões de longos almoços no campo
  2. Observando as pessoas nos cafés
  3. Passeando pela Provença com aroma de lavanda
  4. Tomando banhos de sol nas praias de Nice
  5. Imersos nas riquezas culturais da arte parisiense e da alta costura

No entanto, viver em França pode não ser a caminhada proverbial no parque que se imagina, mesmo se o parque da foto é os jardins impecavelmente recortados de Versalhes.

O país orgulha-se em sua cultura distinta e linguagem, e muitos expatriados inicialmente lutam para encontrar seu nicho e adaptar-se às regras sociais que regem a vida diária.

A língua geralmente é a barreira a mais difícil, especialmente porque os franceses preferem falar em sua língua local.

Saiba mais: As 10 Profissões Mais Bem Pagas na França

Os expatriados que se vão morar na França para trabalhar devem se preparar adequadamente. Embora os franceses sejam conhecidos pela sua escolha de “trabalhar para viver”, e não “viver para trabalhar”, o país é a sexta maior economia do mundo e a França é também uma grande potência dentro da UE.

As empresas esperam eficiência e produtividade e aqueles que planejam morar na França sem um emprego no local podem achar difícil esse processo. Oportunidades serão ainda mais limitadas para aqueles que não são fluentes em francês.

Saiba Mais sobre Morar na França

No entanto, os expatriados representam uma parcela significativa da força de trabalho em Paris e os empresários valorizam as novas competências que um estrangeiro pode trazer.

No final do dia, a maioria dos expatriados não vão morar na França para subir a escada da ambição. Para muitos, o objetivo é viver seus anos cercados pela rica cultura e beleza do país.

A França é um país histórico e altamente cultivado. Campos, fazendas, pontes elegantes sobre os rios, castelos, propriedades e antigas cidades pavimentadas pontilham a paisagem.

Saiba mais: As 5 Melhores Cidades da França para Viver

Bom, sobre morar na França você pode contar com um ritmo de vida mais lento e agradável. Isso marcado por inúmeras pequenas alegrias que levam a uma maior qualidade de vida em geral, estando entre os melhores países para se viver.

10 – Espanha

melhores países para se viver

Quem for morar na Espanha vai encontrar um país rico em uma história rica e agitada. O país é a península mais ocidental da Europa e a terra mais próxima da África. Por isso a Espanha tem sido um ponto de contato entre algumas das maiores e mais influentes civilizações do mundo.

A Península Ibérica testemunhou a ascensão e a queda dos romanos, dos mouros e do império dourado que nasceu de um marinheiro ambicioso que, em 1492, descobriu um “Novo Mundo”.

Foi também um dos últimos países da Europa a ver a queda do fascismo. Embora tenha se tornado mais tarde uma força econômica ressurgente, caiu em tempos difíceis durante a crise financeira global.

Em 2013, as taxas de desemprego espanhol atingiram níveis recordes, com um terço da população sem trabalho. Dito isto, a economia do país mostrou sinais de crescimento nos últimos anos.

Mas o ambiente de emprego ainda não é ideal e os salários são frequentemente mais baixos do que em outras partes da Europa. Isso seja parcialmente compensado por um custo de vida mais baixo.

Os expatriados que não conseguirem um emprego antes de se mudarem também provavelmente terão dificuldade em obter uma autorização de trabalho e um contrato na chegada.

Saiba mais: As 8 Melhores Cidades da Catalunha, Espanha

O estilo de vida sem pressa e propriedade à beira-mar acessível atrai muitos expatriados para morar na Espanha.

Os britânicos e os alemães, em particular, afluíram para as praias ensolaradas do país para comprar moradias a preços razoáveis.

Saiba Mais sobre Morar na Espanha

O mercado imobiliário vai demorar um pouco para recuperar. Porém ainda é estimado que há mais de um milhão de expatriados britânicos no país.

A sociedade espanhola partilha muito com a Europa, mas ainda tem um núcleo cultural distinto que pode tornar o aprendizado a viver lá um desafio.

A língua dominante do país é o castelhano (o que muitos pensam como espanhol). Mas em grande parte as línguas co-oficiais regionais como o catalão e o basco ainda definem grupos sociais importantes.

De fato, a região basca tem uma identidade nacional tão distinta que sua população quer se separar da Espanha.

Globalmente, os espanhóis são conhecidos tanto pela sua atitude descontraída à vida e suas exuberantes personalidades sociais.

Leia aqui: As 10 Melhores Cidades da Espanha para Viver

É comum na Espanha ser interrompido ao falar que, ao contrário da maneira inglesa, é um sinal do interesse.

Os espanhóis frequentemente não tem pressa em suas atividades e para a urgência de outra pessoa.

Também foi dito do espanhol que eles investem muito em conexões interpessoais estabelecidas. Porém se alguém é um estranho, então não espere nada deles para não se decepcionar.

O transporte público na Espanha é mais eficiente nas suas grandes cidades. Os onibus são a primeira escolha para muitas das necessidades de trânsito do país.

O sistema ferroviário é extenso. Porém sua arquitetura radial significa que pode levar muito tempo para chegar a algum lugar relativamente próximo.

9 – Morar na Irlanda

Até a crise financeira global, a Irlanda era a improvável história de sucesso da Europa. Os expatriados que iam morar na Irlanda foram atraídos pelo crescimento econômico recorde. Esse era um dos mais altos padrões de vida do mundo e com seu cenário pitoresco.

No início dos anos 2000, a Irlanda tornou-se um dos países mais ricos da Europa – ganhando o apelido afetuoso de “Tigre Celta”. 

O conto de fadas econômico provou ser bom demais para ser verdade:

  1. A recessão global estourou a bolha imobiliária irlandesa
  2. O colapso econômico que se seguiu foi um dos piores do continente
  3. Os esforços de recuperação foram prejudicados pela crise do euro

Após um plano de resgate, anos de austeridade e um plano nacional de recuperação, há sinais promissores de que a economia irlandesa está começando a se virar, com taxas de crescimento superando as expectativas – e o resto da Europa.

Saiba mais: Os 10 Melhores Lugares para Morar na Irlanda

Há, no entanto, algum caminho a percorrer antes que isso seja sentido na rua.

Os níveis de dívida pessoal, o desemprego e os impostos ainda são altos. A esperança é que o inverno da Irlanda de austeridade tenha chegado ao fim.

Uma série de empresas multinacionais que chegaram durante o boom resistiu à recessão e ficou na Irlanda, trazendo com eles uma população considerável de expatriados.

Exodo de Brasileiros..

Muitos americanos e expatriados britânicos foram para a Irlanda durante o pico de crescimento econômico, e muitos permaneceram.

Expatriados que querem morar na Irlanda devem estar cientes que podem ter que lutar através de um mercado competidor. Além disso, o custo de vida na Irlanda continua elevado. Isto é especialmente verdadeiro em Dublin, onde os preços são comparáveis ​​a grandes cidades como Nova York e Londres.

Os irlandeses têm uma grande influência em todo o mundo. Porém as pessoas se esquecem que a ilha é o lar de menos de 5 milhões de pessoas. Isso representa quase metade da população da cidade de Nova York.

Saiba mais: Trabalhar na Irlanda: Vagas de Emprego para Quem Fala Português

As previsões nebulosas não obscurecem as atrações de um país que possui uma impressionante beleza natural e valoriza um estilo de vida descontraído.

Expatriados indo morar na Irlanda podem esperar excelentes serviços de saúde e uma boa educação para seus filhos. As escolas públicas na Irlanda são gratuitas para todos os residentes, incluindo residentes estrangeiros. Muitos expatriados optam por enviar os seus filhos para as escolas públicas em vez de caras escolas privadas.

Assim, os benefícios de morar na Irlanda e seus fortes laços com empresas estrangeiras são bem vindos.

8 – Estados Unidos

melhores países para morar

Desde a concepção e fundação dos Estados Unidos até os tempos modernos que atraíram líderes, pensadores e empresários de todo o mundo, os EUA encontraram sucesso através da imigração.

Agora, com sua própria identidade distinta, o país continua a ser um destino favorito para os expatriados.

Expatriados que querem morar nos EUA serão expostos a uma das maiores potências econômicas e militares do mundo. A população tem mais de 300 milhões de pessoas em 50 estados separados e em seis fusos horários.

Saiba mais: “Os Segredos da América 2.0” Revelado! Tudo o que Você Precisa Saber para Morar nos Estados Unidos!

Houve uma grande mudança na mobilidade ascendente dos EUA e nas mudanças políticas desde o 11 de setembro. Essas mudanças resultaram em regulamentos de imigração muito mais seletivos. Hoje em dia, muitos mais expatriados gostariam de mudar do que são aceitos.

Este não é um grupo exclusivo, pois cerca de um milhão de pessoas imigram anualmente para a América.

Aumentar a globalização significa que as empresas americanas são muitas vezes grandes empresas multinacionais.

Tal área de terra imensa faz com que seja difícil generalizar tópicos ente expatriados. Mas há certamente algumas vantagens claras para se deslocar para a “Terra da Oportunidade” como:

  1. Custo de vida nos EUA
  2. Clima
  3. Estilo de vida americano

Como uma desvantagem, os EUA têm uma fina rede de segurança e ajuda limitada para aqueles que querem ajuda monetária. Para não mencionar que a competição para trabalhos em muitas cidades dos EUA é intensa.

Saiba mais: 10 Formas de Como Conseguir o Green Card para Morar nos Estados Unidos

Ainda assim, os expatriados que vão morar nos EUA são conhecidos por trazerem entusiasmo e novas idéias a uma economia que valoriza altamente ambos. Muitos brasileiros dizem que o país é um dos melhores países para morar.

7 – Reino Unido

Ao longo da história, o Reino Unido tem sido um destino atraente para imigrantes e expatriados.

No passado, a economia diversificada do país, as políticas de imigração liberal e as ligações com a comunidade desempenharam um papel significativo na criação da tapeçaria étnica dinâmica vista no Reino Unido hoje.

Saiba mais: As Top Faculdades para Estudar no Reino Unido Mais Baratas para Estrangeiros

No entanto, ao longo do tempo os requisitos de imigração do Reino Unido tornaram-se mais apertados. Agora apenas expatriados com habilidades especializadas que estão em demanda.

Em junho de 2016, o Reino Unido votou para deixar a UE. Porém ainda não está claro como serão as implicações deste movimento para os expatriados que vivem ou querem morar no Reino Unido até que as negociações sejam concluídas.

Apesar do impacto da desaceleração econômica global, o Reino Unido tem crescimento econômico estável.

Setores da economia do Reino Unido que estão crescendo em força incluem:

  1. TI
  2. Engenharia
  3. Finanças
  4. Saúde
  5. Energia
  6. Petróleo e gás
  7. Construção

Expatriados com experiência e habilidades procuradas nestes setores encontrarão uma abundância do espaço para a progressão da carreira.

Saiba mais: As 10 Cidades do Reino Unido Mais Brilhantes Além de Londres

Morar no Reino Unido vindo de países da Europa Ocidental ou da América do Norte experimenta pouco choque cultural.

No entanto, precisam se adaptar:

  1. Ao alto custo de vida do Reino Unido
  2. Mau tempo
  3. E congestionamento urbano em cidades como Londres

Os cuidados de saúde no Reino Unido são, em grande medida, gratuitos. O Serviço Nacional de Saúde (NHS) costuma ser considerado um dos maiores ativos do país.

O padrão de hospitais e instalações médicas no Reino Unido é bom. Expatriados vão descobrir que os médicos e equipes são bem treinados e experientes. Embora o serviço do NHS é gratuito, consultas podem ser difíceis de marcas para um curto tempo.

Morar no Reino Unido

Expatriados que querem morar no Reino Unido com as crianças vão achar que existem muitas opções de escolaridade disponíveis. Porém os padrões de educação e escolaridade variam consideravelmente.

Saiba mais: Habilidades e Vagas de TI em Demanda no Reino Unido

Os filhos dos estrangeiros que vivem legalmente no Reino Unido são elegíveis para as escolas públicas financiadas pelo governo. Mas os padrões nessas escolas são por vezes baixos.

Se quer teus filhos educados em uma escola privada ou internacional, você precisa estar atento ao orçamento pois as taxas são bem elevadas.

Os transportes públicos no Reino Unido tem um padrão muito elevado e a qualidade da infra-estrutura rodoviária é excelente. Expatriados que vivem em algumas das cidades principais como Londres, Manchester ou Edimburgo não necessitarão possuem carro. O transporte público é bem detalhado e dá para viver sem estresse.

Quem morar no Reino Unido terá acesso a muitas atrações históricas e culturais disponíveis em um espaço relativamente compacto. A vida noturna das principais cidades são excelentes e existem muitos restaurantes de boa qualidade especializados em uma variedade de cozinhas exóticas.

Além disso, o país é anfitrião de uma série de eventos esportivos internacionais e festivais de música.

Particularmente, por ter morado por 2 anos e gostado muito de Londres, o Reino Unido é um dos top 3 melhores países para se viver.

Leia aqui: Vagas de Emprego no Reino Unido Para Quem Fala Português

6 – Holanda

melhores países para se viver

O próximo da lista dos melhores países para se viver, a Holanda é um Estado moderno que está na vanguarda das tendências globais do governo, da banca e do comércio. Os expatriados terão o prazer de se integrar numa sociedade à vontade com a vida no século XXI.

Os holandeses estavam entre os primeiros a ter um mercado de ações e corporações. Eles tinham uma democracia numa época em que a maior parte da Europa ainda era governada por monarquias.

Saiba mais: Saiba Onde Você Pode Estudar em Inglês no Exterior

O país é também uma capital política global, com Haia, que é o centro do governo local. Por lá hospedam-se também o Tribunal Penal Internacional e a sede da Europol, a força policial da UE.

O famoso país plano de tamancos, tulipas e moinhos de vento é altamente considerado por sua tolerância e ideais liberais. Seus residentes locais descontraídos não são facilmente ofendidos.

Um estado secular que respeita a diversidade, a Holanda tem sido um destino popular para expatriados. Isso é reflexo da sua população cosmopolita refletindo isso.

Morar no Holanda

Seus famosos diques, como os cursos de água que atravessam o país, são uma característica dominante da vida holandesa.

Saiba mais: O Salário Médio dos Top 10 Países com os Maiores Salários

A maioria da população vive em terra abaixo do nível do mar que foi recuperado do oceano. E em qualquer momento da história, se muitos dos diques falhassem, grande parte da Holanda teria sido lavada.

A Holanda é um país de cidades médias, onde até mesmo a capital tem menos de um milhão de habitantes.

Dito isto, o Randstad – que contém Amsterdam, Roterdão, Haia e Utrecht – é povoada por mais de 7 milhões de pessoas.

O país possui um extenso sistema de transporte e um dos melhores sistemas de saúde do mundo. Além disso, a Holanda é o lar de excelentes escolas e os expatriados terão acesso a instituições locais e internacionais.

Com suas cidades freqüentemente classificadas entre as mais habitáveis ​​do mundo, os expatriados que se vão morar na Holanda irão desfrutar de uma excelente qualidade de vida. Eles não devem levar muito tempo para se integrar na sociedade, uma vez que dominem a língua holandesa.

Saiba mais: O Guia Completo Sobre Morar em Amsterdam

5 – Suécia

Resultado de imagem para sweden

Os expatriados que vão morar na Suécia são atraídos pela perspectiva de uma vida equilibrada e próspera. O país combina:

  1. Alta tecnologia com natureza intocada
  2. Valores ultra-liberais com respeito pelas tradições
  3. Abundantes oportunidades econômicas com amplo bem-estar social

A geografia da Suécia é definida pela água. O interior é pontilhado de lagos, enquanto a costa está a milhares de quilômetros das ilhas fragmentadas.

A capital da Suécia, Estocolmo, é construída sobre um arquipélago de 24.000 ilhas. Maioria dos expatriados que vão morar em Estocolmo prosperam em uma das mais atraentes, vibrantes e interessantes metrópoles europeias.

Cada uma das 14 ilhas no centro da capital da Suécia tem seu próprio caráter e variedade de entretenimento. A oferta de habitação está sob pressão: os preços de aluguel são altos. Bons apartamentos bem localizados podem ser difíceis de ser encontrados.

Em geral, a Suécia oferece a possibilidade de um estilo de vida saudável, a partir:

  1. Da abundância de peixe fresco e legumes em dietas locais
  2. De uma riqueza de atividades ao ar livre como esqui, vela, floresta andando e colheita de bagas.

O transporte público também é excelente, destravando qualquer parte do país, mesmo para aqueles sem carro. Isso faz com que a Suécia seja o 5o dos melhores países para se viver.

Morar na Suécia – Parte 1

A economia sueca tem ido bem, mantendo-se estável durante a crise financeira global, enquanto destinos de emprego mais tradicionais estagnaram. O resultado é um mercado de trabalho razoavelmente saudável, com oportunidades para expatriados altamente qualificados em setores específicos, como TI, energia e mídia.

Apesar das restritas leis de imigração, cerca de 1/5 da população sueca vem do exterior, especialmente em grandes cidades.

Taxas de impostos elevadas significam que os salários suecos são bastante modestos. Mas os expatriados com autorizações de residência gozam dos benefícios de uma extensa rede social estatal que oferece:

  1. Educação gratuita, de alta qualidade
  2. Cuidados de saúde
  3. Assistência às crianças
  4. Segurança

A Suécia também é líder mundial em:

  1. Valores liberais
  2. Pioneira nos direitos dos homossexuais
  3. Igualdade de gênero
  4. Proporcionar amplos privilégios parentais e maternos para os funcionários

Os expatriados que vão morar na Suécia podem achar a língua difícil de aprender. Mas como os suecos geralmente falam inglês excelente, a barreira da língua é muito facilmente superada. A cultura sueca, entretanto, pode ser um pouco mais desafiadora para os expatriados se adaptarem.

Um detalhe comum ao morar na Suécia é a dificuldade em se conectar com os suecos reservados e introvertidos. Expatriados que estão preparados para desfrutar de seu status como outsiders estarão melhor preparados para esse pouco contato.

Morar na Suécia – Parte 2

No entanto, a Suécia foi classificada em primeiro lugar entre as nações do EEE para facilitar a integração. O inquérito considera uma série de indicadores, incluindo:

  1. Oportunidades de emprego
  2. Reagrupamento familiar
  3. Educação
  4. Participação política
  5. Residência de longa duração
  6. Acesso à cidadania
  7. Medidas anti-discriminação

O inverno também pode ser um choque para os expatriados que vão morar na Suécia de climas mais quentes. Durante os meses de inverno, de dezembro a março:

  1. As temperaturas caem abaixo de zero
  2. Neva bastante
  3. E a luz solar faz uma aparição relutante por apenas algumas horas por dia

O inverno também anuncia o maior perigo inesperado da Suécia: queda de gelo dos telhados da cidade. Será prudente prestar atenção aos sinais de aviso.

Psicólogos suecos muitas vezes diagnosticam a Seasonal Affective Disorder (SAD) pela falta da luz solar e necessidade de vitamina D. A cura? Uma visita a qualquer um dos salões de bronzeamento ou salas de terapia UV encontrados em todo o país.

A Suécia equilibra cidades ultramodernas com extensões de áreas virgens intocadas. A famosa população moderna ainda tem grande orgulho em suas tradições.

4 – Nova Zelândia

melhores países para se viver

Expatriados que querem morar na Nova Zelândia tem que fazer uma escolha de vida distinta:

  1. O país insular é remoto
  2. Escassamente povoado
  3. E os níveis de renda são baixos em relação a países como os EUA e o Reino Unido

Ao mesmo tempo, as pessoas que vivem na Nova Zelândia são cercadas pela natureza imponente. Ainda são capazes de desfrutar de uma alta qualidade de vida.

Saiba mais: Tudo Sobre Morar na Nova Zelândia: Trabalho, Custo de Vida, Acomodações e etc.

Cerca de 1/5 das pessoas que vivem e trabalham no país nasceram no exterior. Por lá existem grandes comunidades do Reino Unido, América do Norte, África do Sul, Pacífico Sul, Índia e China.

Morar na Nova Zelândia é estar em um dos melhores países para se viver e é popular para um novo começo e equilíbrio entre o trabalho e a vida.

As novas chegadas são especialmente atraídas pelos:

  1. Bom estado de saúde privada
  2. Baixos índices de criminalidade
  3. Uma sociedade que valoriza as crianças e o ambiente
  4. E educação pública de alta qualidade

O país carece do poder econômico de países maiores e enfrenta desafios. Eles são baseados em um crescente hiato de renda e altos níveis de dívida.

No entanto, a economia da Nova Zelândia foi descrita como “a inveja do mundo” pelo tesoureiro australiano.

Morar na Nova Zelândia – Parte 1

O governo tem feito esforços impressionantes nos últimos anos para enfrentar esses desafios. Esses esforços estão resultando em uma economia crescente e uma perspectiva positiva.

Como resultado, há oportunidades para os expatriados com iniciativa, energia e otimismo.

Isso é ajudado pelo fato de que o país tem experimentado uma saída de jovens qualificados para o exterior.

Em conseqüência, o governo de Nova Zelândia dá boas-vindas a expatriados em perspectiva em uma escala das indústrias. Porém desde que tenham as habilidades e a experiência para beneficiar a economia local. Os principais setores e fontes de emprego incluem agricultura, finanças, turismo e manufatura.

Saiba mais: Os 10 Países Mais Seguros do Mundo em 2017

Uma desvantagem da vida na Nova Zelândia é que a atividade sísmica é uma realidade de vida no país.

Os moradores experimentam cerca de 200 tremores sentidos por ano e milhares de terremotos que não são sentidos.

Felizmente, apenas dois terremotos no último século causaram perdas significativas.

Os residentes geralmente têm planos de emergência para a sua família e as escolas regularmente praticam treinos de terremoto.

As casas na Nova Zelândia são construídas frequentemente de madeira e gesso. Eles que são mais flexíveis e capazes de lidar melhor com terremotos do que tijolos tradicionais e argamassa.

Morar na Nova Zelândia – Parte 2

As novos moradores aprenderão que a infra-estrutura de transporte da Nova Zelândia é bem desenvolvida e facilmente utilizada:

  1. A maioria das cidades tem uma rede de ônibus público
  2. Todas as suas principais cidades estão ligadas por via férrea
  3. E um serviço de ferry regular liga as ilhas do Norte e do Sul

Quanto ao clima, os expatriados ficarão aliviados ao saber que recebe mais luz do sol que os países europeus.

Aqui é o lugar ideal para expatriados que gostam de estilo de vida descontraído e ao ar livre.

Esses fatores fazem com que a Nova Zelândia esteja em 4o lugar entre os melhores países para morar.

Saiba mais: Os Melhores Lugares para Viajar Sozinho

3 – Itália

melhores países para morar

Da Roma Antiga à Renascença, a bota no fundo da Europa tem tido influência na arte, cultura e política europeia. Isso faz com que a Itália seja o 3o entre os melhores países para se viver.

Morar na Itália oferece aos residentes um estilo de vida:

  1. Atraente
  2. Com ênfase na família
  3. Beleza cênica
  4. E mundialmente famosa comida e vinho

Os expatriados que se deslocam para a Itália serão seduzidos pelo país e sua paixão pela vida doce.

Os italianos são orgulhosos de seu país e mostram fortes alianças regionais. Eles também são uma nação com profundas raízes católicas romanas, enraizadas na cultura cotidiana e costumes. Isto é mais evidente no papel central que a família tradicional tem na sociedade italiana.

O foco na família se estende em negócios na Itália também. Uma grande proporção de empresas italianas são de propriedade familiar. Incluem grandes corporações até empresas menores que compõem grande parte da economia local.

As empresas com outras formas de propriedade ainda seguem frequentemente um rigoroso sistema de hierarquia.

Morar na Itália

Em um país que é famoso por sua moda, grande ênfase é colocada sobre as aparências. Para os italianos, a forma como uma pessoa se veste e age indica:

  1. O seu status social
  2. Antecedentes familiares
  3. E nível de educação

Essa ênfase na bela figura estende-se à confiança e à linguagem corporal de uma pessoa. Isso significa que as primeiras impressões são importantes.

Saiba mais: As Principais Cidades da Itália para Você Visitar

A Itália é o lar do maior número de locais do Patrimônio Mundial da UNESCO além de ser um dos melhores países para se viver. Os expatriados podem passar seu tempo livre explorando este país culturalmente rico.

A Itália tem uma rede de transportes públicos bem estabelecida. Locomover-se é bastante simples, embora as coisas funcionam pior que em outros países europeus.

Quem quiser explorar o resto do continente vão descobrir que a Itália está ligada a muitos dos países vizinhos:

  1. Através de excelentes ligações ferroviárias
  2. Bem como a vantagem adicional de voos baratos

Leia aqui: Morar na Itália: Vagas de Emprego para Quem Fala Português

2 – Canadá

Para saber mais informações sobre o Canadá, você pode visitar essa categoria do site aqui.

 

melhores países para se viver

 

1 – Austrália

Para saber tudo sobre a Austrália, você pode visitar esse artigo aqui.

Daí ficará fácil saber o motivo que a Austrália é um dos melhores países para morar.

 

melhores países para se viver


Se você quiser saber mais sobre artigos com outros países, recomendo clicar nos links abaixo:

  1. Austrália
  2. Canadá
  3. Estados Unidos
  4. Portugal
  5. Espanha
  6. Itália

Espero que tenha gostado desse artigo com os melhores países para se viver.

Até o próximo post!

Paulo Roberto

Resumo
Data do review
Reviewed Item
→ Os 20 Melhores Países para se Viver
Author Rating
51star1star1star1star1star

Comentários

comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
error: Conteúdo protegido!